Acupuntura

A ciência mostra que a genética é importante sim, mas ela responde apenas com 20% do processo de adoecimento, sendo que os outros 80% são de inteira responsabilidade das pessoas: hábitos de vida, alimentação, exercício, paz mental. Todos sabem: “Você está acima do peso, precisa emagrecer”; “Se você fuma, tem que parar imediatamente”; “Se você bebe bebida alcoólica em excesso, precisa parar”; “Diminua os açúcares, coma verduras e frutas, evite refrigerante, coma pouco à noite”; “Durma de 7 a 8 horas por noite”; “Tem que fazer exercício físico, cuide da sua saúde mental, ‘do estresse’ ”. Isto está na mídia e em todo lugar, e por que uma média de 70% da população não faz? Porque não sabe por onde começar e o que fazer... Só remédio químico não tira ninguém da inércia, das intoxicações e da falta de nutrientes que provavelmente esteja ocorrendo. Falta vontade, propósito, motivação. E o que se pode fazer para melhorar estes estados de ânimo dos pacientes? Não basta falar sem dar uma alternativa.

 

Aqui entra a técnica terapêutica de extrema importância: a acupuntura.

Esta ciência médica é capaz de atuar na mente e no corpo físico. Um dos mecanismos já provados cientificamente é que a inserção de agulhas de acupuntura em certos pontos estimula uma estrutura física no cérebro que faz a ligação mais grosseira da mente com o corpo: o hipotálamo. Esta estrutura pequena, situada no meio do cérebro, é responsável pela harmonia de todas as glândulas hormonais e por algumas funções, como desejo sexual, fome, atitudes compulsivas, etc. A acupuntura atua estimulando o centro da saciedade da fome, isto é, passa-se a comer menos. Atua também diminuindo o comportamento compulsivo. Assim, pode-se explicar um pouco como a acupuntura auxilia no processo de emagrecimento e nos vícios em geral. Outra função importante que este tratamento proporciona é a movimentação dos líquidos, isto é, “desincha”.

Porém, a mais importante de todas as ações é o que a acupuntura faz em alguns aspectos psíquicos: ela estimula o sentimento psíquico da vontade. Uma pessoa com vontade consegue expressar-se na vida de forma integral. Então vamos lá: “Levante-se do sofá, saia da inércia, saia da inconsciência... Movimente o corpo, cuide da sua alimentação, cuide do seu coração e desenvolva o amor!”

A analogia que se costuma fazer com o que acontece quando as pessoas são submetidas a uma sessão de acupuntura é a seguinte: quando se está doente, cansado, irritado ou deprimido, é como um lago parado. Quando a água não flui, tudo estagna, tudo se torna lento, os parasitas e fungos aparecem e proliferam. No rio de água corrente, a vida se manifesta. As agulhas agem como se abrissem as comportas do rio da vida: a digestão acontece melhor, os movimentos se tornam mais fáceis, as dores se amenizam, a mente se acalma.

Sessões podem ser semanais mas dependendo da gravidade do processo pode precisar 2 a 3 vezes/semana. Pode-se utilizar a auriculoacupuntura, técnica auxiliar da acupuntura sistêmica, para potencializar o tratamento. Neste caso, são colocadas na orelha sementes de mostarda que ajudam muito no processo de emagrecimento e ansiedade. Mas não se deve esquecer que a auriculoacupuntura não substitui a acupuntura sistêmica, que é a inserção de agulhas no corpo todo.

Acupuntura: meu relato pessoal

Quando recebo um tratamento de acupuntura integral não sei exatamente como será. Isto é, as sensações pode mudar a cada sessão, pode ser um leve tilintar do corpo, um quase flutuar, uma corrente que circula, etc... mas em geral a sensação de bem estar é evidente, e que pode ser traduzida por paz. A ciência já explica vários mecanismos neurofisiológicos que justifiquem estas sensações, dentre eles a liberação encefálica maciça de serotonina, encefalinas, dopamina, dentre outros neurotransmissores. As explicações de mecanismos de ação são de extrema importância para entendermos de forma científica um fato específico, porém o que vou falar um pouco é da experiência propriamente dita. As sensações, os benefícios sutis, a religação que ocorre após uma sessão de acupuntura integral.

Quando digo acupuntura integral é uma forma de frisar a integração que existe entre o acupuntor e a minha pessoa, mais especificamente com a minha alma, ou mente. A acupuntura é um ato de amor profundo e deve ser executada nesta mesma vibração. Para isto é necessário que reine a paz e a harmonia no local da aplicação, assim como nos envolvidos no ato. Quem recebe deve estar aberto para receber a energia cósmica que o acupuntor tem a capacidade de mobilizar. E este por conseguinte deve estar concentrado e integrado o suficiente para que a circulação do ‘Qi’ (palavra chinesa que significa energia) penetre e/ ou saia e/ou circule.

A atuação da acupuntura vai além dos efeitos neurofisiológicos. A principal ação é na nossa mente. Mente no sentido amplo de consciência e traduziremos mais adiante em algumas estruturas encefálicas.

Acupuntura: o legado dos nossos ancestrais

“Alguém só pode conseguir se livrar dos fardos, superar as dificuldades, preservar o estado natural das coisas, purificar os sopros, ascender da grande multidão e atingir a benevolência e a longa vida, conduzir os débeis e os fracos, se atingir a tranqüilidade. Isto é possível de ser alcançado através dos métodos usados pelos três sábios” (Wang, 2001).

O primeiro texto de acupuntura conhecido foi o Nei Ching Su Wen e existem muitas controvérsias acerca da origem exata e do autor deste livro (Nghi & Tran, 1994). O Nei Ching Su Wen é dividido em duas principais seções, o Su Wen ou “Questões Fáceis” e o Ling Shu ou “Questões Difíceis”, também chamado “Eixo Espiritual”. Este texto é conhecido por diversos nomes como “Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo” ou “Cânone de Medicina”, mas todos eles se referem ou mesmo texto.

A seção inicial do Nei Ching Su Wen se desenvolve com uma discussão entre o Imperador Amarelo, Huang Ti, e o seu Ministro, Qibo. Esta discussão expõe as bases filosóficas da Medicina Tradicional Chinesa, em que os princípios da manutenção da saúde e as causas do adoecimento são dissertadas de uma forma concisa e explicativa, fazendo deste livro mais uma tese em saúde e doença, do que um tratado de medicina como conhecemos atualmente. O Nei Ching Su Wen, discute quase que exclusivamente os conceitos filosóficos, que são na sua grande parte tão importantes e atuais quanto foram há 2.000 anos atrás.

Desta forma, observamos a importância deste texto inicial no desenvolvimento de toda a teoria que alicerça a MTC, principalmente as três teorias básicas: a teoria do Yin e do Yang, a teoria dos Cinco movimentos e a teoria dos Zang-Fu (órgãos e vísceras) (Yamamura, 1993).

O prefácio do “Livro da História” (Ssu-Ma Ch’ien) dizia que os escritos de Fu Xi, Sheng Nong e do Imperador Amarelo eram chamados “Os Três Pináculos”, e discutem de forma séria o Grande Caminho, sendo estes os pilares da Medicina Tradicional Chinesa. Em específico, o conhecimento que temos hoje sobre Medicina Chinesa-Acupuntura, provém dos relatos do ilustre Imperador Amarelo. Desta forma, não temos outra maneira de abordar a Medicina Tradicional Chinesa, em particular a acupuntura, sem conhecermos um pouco da sua filosofia e principalmente dos textos que embasam toda a sua fundação e execução, e é sobre estes escritos que iremos nos referir brevemente a seguir.

Este texto consiste na conversação do Imperador Amarelo com seu Ministro. Seu estilo ainda é conciso, suas idéias são vastas, seus princípios são recônditos e seus propósitos são profundos. Nele estão expostos: os sintomas de morte ou sobrevivência do paciente, os motivos de alteração dos fenômenos do céu e da terra relacionados ao homem e o estado de Yin e Yang.

Para ilustrar descreveremos uma parte do primeiro capítulo do Cânone de Medicina Interna.

3.1.1. Sobre a preservação da energia saudável nos humanos nos tempos antigos

O Imperador Amarelo, de grande antiguidade, quando nasceu já era brilhante e sábio, era eficaz em se preservar quando criança, tinha uma maneira modesta de proceder e uma lisura de caráter quando cresceu. Em sua juventude, era honesto e possuía uma grande habilidade em distinguir o certo do errado. Quando chegou à idade correta, tornou-se Imperador.

O Imperador Amarelo se dirigiu ao mestre Taoísta Qibo (seu Ministro):

“Fiquei sabendo que nos tempos antigos, as pessoas todas podiam viver por bem mais do que cem anos, e aparentavam estar muito bem de saúde e firmes nas ações; mas as pessoas nos tempos presentes são diferentes, não são tão lépidas no agir, já quando têm apenas cinqüenta anos. Qual a razão? Isto se deve à mudança dos princípios espirituais ou é causado pelo comportamento artificial do homem?”

Qibo respondeu: “Aqueles que nos tempos antigos conheciam a maneira de conservar uma boa saúde, sempre nortearam seu comportamento do dia-a-dia de acordo com a natureza. Seguiam o princípio do Yin e do Yang e se conservavam de conformidade com a arte da interação do Yin e do Yang. Eram capazes de modular sua vida diária em harmonia, de forma a recuperar a essência e a energia vital, portanto podiam se cuidar e praticar a maneira de preservar uma boa saúde. Seus comportamentos do dia-a-dia eram todos mantidos em padrões regulares tais como sua comida e bebida, mantidas em quantidades fixas, suas atividades diárias, todas em intervalos regulares. Nunca excediam no trabalho. Dessa forma, podiam manter tanto o corpo como no espírito o substancial, e eram capazes de viver até uma idade avançada de mais de cem anos.

Mas hoje em dia, as pessoas são muito diferentes. Não se recuperam a si próprias de forma a preservar uma boa saúde, mas vão contra isso. Estão voltadas a beber sem temperança, são sonhadores de ordinário, indulgem em prazeres sexuais, sobrepujam sua energia vital e arruínam sua saúde. Não protegem cuidadosamente sua energia primordial como se estivessem manuseando utensílio cheio de coisas valiosas. Não compreendem a importância de economizar sua energia, mas a gastam de forma selvagem fazendo o que lhes apraz. Não conhecem a alegria de conservar uma boa saúde e não têm um padrão regular em seu dia-a-dia quanto à comida, bebida e às atividades. Por esse motivo, se tornam decrépitas quando têm somente cinqüenta anos.

Nos tempos antigos, as pessoas se comportavam de acordo com os ensinamentos dos sábios para preservar a saúde. Todas as energias perversas das várias estações são prejudiciais às pessoas, atacam o corpo quando debilitado em geral, e deve-se defender delas a qualquer momento e em qualquer lugar. Quando alguém está completamente livre de desejos, ambições e pensamentos que distraiam-na, indiferente à fama e ao lucro, a verdadeira energia irá despertar. Quando alguém concentra internamente seu espírito e conserva uma mente em seu estado perfeito, como pode ocorrer qualquer doença?

Portanto, aqueles que forem capazes de conservar uma aspiração em repouso, não terão medo quando algo terrível ocorrer; aqueles que tenham corpos fortes não se sentirão cansados após o trabalho, e aqueles que tiverem um espírito tranqüilo, sua energia primordial será moderada, seus desejos podem ser facilmente satisfeitos, bastando que não tenham ambição insaciável. É precisamente por quê têm esta base espiritual, que são capazes de se adaptar a qualquer ambiente. Eles não estão muito preocupados com a qualidade e estilo da roupa, mas se sentem à vontade com os costumes locais. Eles não buscam ou admiram a vida material confortável dos outros, assim são tranqüilos e honestos.

Como eles têm um estado mental tranqüilo e estável, nenhum desejo pode seduzir seus olhos, e nenhuma obscenidade pode seduzir seu coração. Muito embora a inteligência e o caráter moral entre as diversas pessoas não sejam os mesmos, no entanto elas podem atingir o estágio de não ligar para nenhum pensamento de ganho ou perda, e por isso todas elas são capazes de viver de acordo com a maneira de conservar uma boa saúde.

A razão pela qual, aqueles podem viver mais de cem anos sem se tornarem decrépitos é que eles podem conviver com a forma de conservar cuidadosamente uma boa saúde.

Nos idos da metade dos tempos antigos, algumas pessoas conseguiam preservar a saúde atingindo o nível de ‘homem supremo’. Elas estudavam e praticavam a forma de, com todo seu coração, preservar a saúde, com um caráter moral puro e honesto. Elas empregavam seu comportamento e mente para se adaptar à lei de clima das estações. Elas eram capazes de manter sua energia primordial de forma concentrada liberando a si mesmas do torvelinho das palavras a fim de poderem conservar seu físico forte, seu espírito abundante, e aguçar olhos e ouvidos. Elas empreendiam viagens extensas a fim de ouvir e ver coisas em locais distantes. Este tipo de pessoa certamente podia prolongar seu tempo de vida. Seu nível de cultivo da saúde tinha quase atingido o estágio de ‘homem perfeito’.

Depois, vinham as pessoas capazes de conservar sua saúde até o nível de virar ‘Sábio’. Elas viviam tranqüilas e confortavelmente no ambiente natural do universo, seguiam as regras dos oito ventos (ventos de todas as direções) e podiam evitar ser feridas por eles. Elas regulavam seu comer, seu beber e a vida diária num estilo moderado, quando viviam juntos às pessoas comuns. Seus temperamentos eram estáveis e calmos sem indignação e flutuação de humor. Na aparência externa, elas não se afastavam da realidade de sua vida diária, trabalhavam na administração com as roupas próprias da administração, como as outras, mas lidavam com as coisas de forma diferente das pessoas comuns. Nunca faziam trabalho físico excessivo e nem se engajavam em deliberações excessivas que causassem preocupações, mas sempre conservavam sua mente bem disposta, e se contentavam com suas próprias circunstâncias. Precisamente por causa disso, elas podiam cultivar a si próprias a fim de terem corpos fortes, e preservar seus espíritos da dissipação, e por isso, suas vidas podiam ser prolongadas até os cem anos de idade.

Depois, aqueles que podiam preservar sua saúde a ponto de ser um ‘Homem sábio e bom’. Podem dominar e aplicar a técnica de preservar a saúde de acordo com as variações do céu e da terra, tais como com as diferentes localizações do sol, os quatros crescentes e o minguante da lua, a distribuição das estrelas, a contradição mútua do Yin e do Yang e a alternância das quatro estações. Eles dominavam e praticavam as formas de preservar a saúde, procuravam registrar as formas de preservar a saúde nos tempos antigos, a fim de que também pudessem prolongar suas vidas ao máximo”.

A Acupuntura foi idealizada dentro do contexto global da Filosofia do Taoísmo e das concepções filosóficas e fisiológicas que nortearam a Medicina Tradicional Chinesa. A concepção dos Canais de Energia e dos pontos de Acupuntura (acupontos), o diagnóstico e o tratamento baseiam-se em três principais preceitos: teoria do Yin e do Yang, dos Cinco Movimentos e dos Órgãos e Vísceras (Yamamura, 1995). Como se trata de uma metodologia criada há milênios, seu embasamento teórico não é científico , isto é, sua linguagem diagnóstica e terapêutica não se molda à da ciência vigente. Desta forma, a prática da sua propedêutica é baseada na observação (Stux, 1987).

Sua origem data de mais ou menos 2 500 anos e evidências arqueológicas mostram que existiam artefatos de acupuntura feitos de pedra, chamados de bian, que eram ‘utilizados na Idade da Pedra para fins curativos’(Cheng, 1987). As agulhas de metal, ouro e ferro, foram usadas numa Era mais recente, sendo encontradas nas tumbas da Dinastia Han (206 A.C. a 221 A.C).

Importante ressaltar, que a Acupuntura apesar de fazer parte da MTC, não necessariamente se confunde com ela, isto é, as técnicas de fortalecimento interior utilizadas pelos antigos sábios, que atualmente são denominadas de práticas de meditação do Taoísmo (Qi Qong e Tai-Chi-Chuan), bem como as formulações fitoterápicas que remontam a inserção das agulhas, também compõem o arsenal da MTC (Wang, 2001). Contudo, dentre as abordagens terapêuticas propostas pela MTC, a Acupuntura é a mais aceita no Ocidente, pois apresenta uma fenomenologia mais palpável no contexto científico, podendo seus efeitos ser mensurados através de técnicas científicas, como medidas de peptídeos, enzimas, neurotransmissores, etc, e mais recentemente por métodos modernos de imageamento cerebral como a ressonância nuclear magnética funcional.

Esta expressão científica da Acupuntura tem permitido deslocá-la de um contexto empírico, antigamente tido até mesmo como curandeirismo, para uma posição científica. Porém, não é possível desintegrar os conceitos propedêuticos e terapêuticos desta ciência construída há milhares de anos, e simplesmente transformá-los em conceitos cartesianos ou neurofisiológicos. Esta conceitualização neurofisiológica nos permite tornar o palavreado energético mais preciso e menos holístico, por exemplo, quando falamos em energia, fluxo de Qi, etc, podemos pensar em aferências e eferências neuronais. Contudo, se torna extremamente perigoso transformar toda esta linguagem energética em termos ocidentais, pois como podemos ver nos próprios textos antigos, os significados das palavras são muito mais profundos e o êxito no diagnóstico e tratamento se baseia neste conhecimento profundo das conexões energéticas entre os pontos de acupuntura e os sistemas orgânicos (Yamamura,1993).

A teoria geral da acupuntura é baseada na premissa de que há padrões de fluxos de energia (Qi) através do corpo e a livre circulação destes são indispensáveis para a saúde. Acredita-se que as interrupções nesse fluxo são responsáveis pela doença. Desta forma, a acupuntura, através da inserção de agulhas em pontos específicos do corpo, corrige esses desequilíbrios de fluxo (NIH, 1998).

A palavra Acupuntura na verdade engloba um conjunto de procedimentos, todos eles visando o estímulo de pontos anatômicos, chamados pontos de acupuntura ou simplesmente ‘acupontos’. Os procedimentos utilizados são: 1- inserção de agulhas; 2- aplicação de calor (moxabustão); 3- eletroacupuntura; 4- aplicação de laser. Os acupontos podem ser divididos em três grupos: 1- os localizados no corpo todo (cabeça, tronco e membros) ordenados dentro de canais de energia, denominados ‘meridianos e colaterais’; 2- pontos fora dos canais de energia, chamados ‘pontos curiosos’, que coincidem com os ‘trigger points’ ou pontos de dor (Vanderschot, 1976; Wenbu, 1993); 3- pontos que fazem parte de microssistemas e se localizam em regiões específicas do corpo, p ex., pavilhão auricular, couro cabeludo e mãos (palmas).

A Acupuntura trata as doenças por meio de agulhas metálicas que medem aproximadamente 0,2 – 0,4 mm de diâmetro, e que são inseridas nos acupontos. Inicialmente as agulhas eram feitas de materiais diversos como o ouro, prata ou cobre, em conformidade com a intenção almejada, isto é, para a tonificação* ou para sedação* (Wenbu, 1993). Contudo , atualmente a grande maioria das agulhas é feita de materiais como aço e cobre, sendo de menor durabilidade, pois são descartáveis. Isto, por sua vez, entra em concordância com as medidas de higienização preconizadas pela Vigilância Sanitária, levando conseqüentemente a efeitos epidemiológicos importantes no que tange à contaminação através de agulhas de acupuntura (Wilms, 1991).

Segundo NIH Consensus Development Panel on Acupuncture, 1998, trabalhos científicos que utilizam metodologia rigorosa, demonstraram a aplicabilidade desta intervenção terapêutica com resultados positivos em situações como: náusea e vômito relacionados à quimioterapia, pós-operatório de adultos que apresentam dores e pós-operatório de cirurgia dental. Em outras situações como droga-adição, reabilitação de AVC, dores de cabeça, dores menstruais, tendinites, fibromialgia, dor facial, osteoartrites, dor lombar, síndrome do túnel do carpo e asma, a Acupuntura pode ser utilizada como tratamento coadjuvante ou mesmo como uma terapêutica alternativa.

Considerações finais

Ao se considerar o corpo em sua organização e funções, observa-se que é uma obra-prima de excelência. No entanto, o seu funcionamento é agredido diariamente sem mesmo se prestar atenção aos pequenos avisos emitidos em mínimos sintomas. As pessoas se acostumam com a sua capacidade regeneradora e generosa, até que algo realmente não funcione. Só então prestam atenção e se dão conta do que perdem ou estão quase perdendo. Quando tomam consciência do milagre do corpo, na maioria das vezes é muito tarde, pois tomam conhecimento dele por meio das suas disfunções, de suas dores.

Um mestre zen budista foi interrogado sobre como fazia para ter tanta alegria e levar uma vida contemplativa e maravilhosa: “Quando me sento, eu me sento, quando caminho, eu caminho e quando como, eu como”. “Mas nós fazemos isto também”, emendou o indagador. Então o mestre completou: “Ao contrário, quando vocês se sentam, já estão pensando em se levantar; quando se levantam, já estão pensando em caminhar, e quando caminham, já estão pensando em comer”. Portanto, o segredo de uma vida significante e feliz é usufruir o momento presente.

O ronco, a apneia obstrutiva do sono e a síndrome metabólica são mais uma vez sintomas de doenças que germinam num solo adequado. Ter saúde é um processo ativo e constante, que depende principalmente do dono do corpo. Isto não significa individualidade e solidão neste caminho; pelo contrário, a interação entre pessoas é fundamental para a realização pessoal e ajuda mútua. Ter saúde necessita comprometimento e investimentos diários, de tempo e também financeiro – assim como o adoecer depende de investimento diário de tempo e dinheiro. Gasta-se muito em atividades sem sentido, assim como se come o que causará a doença. Para ter longevidade saudável existem receitas fáceis e “baratas”.

Pesquisas realizadas com longevos centenários na antiga União Soviética, no Japão e nos Estados Unidos concluíram que as pessoas que viviam mais eram simples e com poucas condições econômicas. Por conseguinte, comiam pouco e somente comida simples. Não tinham antecedentes de obesidade, pois não tinham acesso “livre” à proteína animal, o que atualmente se tornou acessível de forma exagerada a todas as camadas da população. As suas refeições se baseavam em cereais integrais, vegetais e frutas. Faziam também jejuns ocasionalmente, na falta de alimentos. Exercitavam-se no dia a dia. Em uma determinada região, era frequente o número de apicultores pobres muito idosos. O que se constatou foi que eles vendiam o mel centrifugado e ficavam somente com os favos sujos de pólen e própolis, que mastigavam. Atualmente inúmeras pesquisas demonstram o valor curativo destas substâncias. Da mesma forma, inúmeras pesquisas demonstram que as dietas hiperglicídica e hipercalórica diminuem a vida em pelo menos 1/4 quando comparadas com uma dieta mais equilibrada.

Outro ponto importante para manter o equilíbrio do corpo é o exercício físico diário. Por meio do exercício regular de resistência (por exemplo, a caminhada forte), mantém-se a respiração equilibrada e se abastece mais o corpo com o elixir da vida, o oxigênio. Isto, por conseguinte, aumenta o número de mitocôndrias (pequenas usinas produtoras de energia dentro das células) levando a uma melhora da disposição, do ânimo e da concentração. Um outro livro poderia ser escrito sobre os benefícios do exercício físico. Resumidamente: as pessoas foram feitas para se movimentarem.

A ingestão adequada de água durante o dia é de fundamental importância, pois as pessoas são seres compostos de mais de 70% de água e todas as funções celulares dependem de uma boa condutividade, que se dá através de um meio líquido.

Respirar é outra atitude que prolonga a vida. Principalmente as pessoas portadoras de apneia do sono devem aprender a respirar novamente. Respirar profundamente, respirar pausadamente, parar e fazer 2, 3, 5 minutos de respiração. Todas as antigas tradições médicas e filosóficas enfocam esta atividade. Relaxar e respirar. O relaxamento e uma boa noite de sono recuperador são fundamentais para uma vida saudável. E aqui apresentou-se uma forma terapêutica, a acupuntura, capaz de ajudar a reverter este quadro de adoecimento. Cabe ao paciente conscientizar-se do seu corpo, da sua vida, e aproveitar esta oportunidade para se engajar numa forma mais saudável de viver. É como empurrar um carro quebrado: a acupuntura empurra, faz o carro pegar, mas cabe ao motorista acelerar.

Os paradigmas da ciência moderna vêm sofrendo grandes modificações positivas. Uma delas é a constatação de que a saúde não é boa sorte e apenas boa genética. Os culpados que até pouco tempo atrás imperavam, os vírus, bactérias e parasitas, já não são considerados tão culpados. Antes o culpado era externo, hoje começa-se a observar melhor o comportamento e a atitudes e descobrir que não existe culpado externo. O maior inimigo está no interior, é a raiva que cada um sente, o apego, a razão desmedida, a falta de gentileza, a falta de compromisso com a vida plena – vida plena esta que permite a todos viver a alegria, o amor, a tristeza, a saudade, em equilíbrio. Como se afirma em Medicina Chinesa: “A tristeza é um sentimento que deve ser vivido, assim como os outros. Porém, tudo deve fluir de forma que nada se estanque, pois até a alegria excessiva por um longo período de tempo é capaz de causar graves danos na energia do Coração”. Parar de procurar culpados externos é a primeira atitude. Em vez de reclamar, fazer um exercício, fazer um suco, fazer uma sopa, fazer um carinho, fazer um pedido. Praticar o amor.

Viver com organização produz mais ânimo, entusiasmo e motivação. Ser organizado é aprender a controlar o tempo, é ser dono da própria vida. É preciso que cada um organize o tempo para trabalhar, estudar, relaxar, exercitar, namorar, etc. Se o tempo é igual para todos, por que alguns aproveitam e outros nunca conseguem? Os desorganizados não sabem bem o que querem e desperdiçam muito tempo com bobagens, andam sempre confusos, sem saber o que fazer primeiro ou depois. Passam horas, dias, anos, a vida, emaranhados nas mais diversas tarefas e todas elas assumem ares de urgentes e prioritárias. Quando deixam de cuidar de um “terremoto”, correm para apagar um “incêndio”, no instante seguinte já estão no meio de um “furacão”. A ordem interna é reflexo da ordem externa. Se os objetos pessoais visíveis estiverem em desordem no quarto, no banheiro, na cozinha, na sala, imagine-se como estarão a mente e o coração. Organizar-se é ter ordem e limpeza. E se algum objeto não tem lugar, ele merece ser removido. É preciso seguir a lei do vácuo: o espaço vazio atrai coisas novas. Que cada um faça uma limpeza nos armários, dê roupas, sapatos, objetos, etc, que não usa mais, que tire papéis velhos. Ordem é riqueza mental, desordem é pobreza mental. Que cada um atraia abundância em todos os aspectos da sua vida. Quando o corpo se cerca de ordem, adquire mais saúde e força; pensa-se melhor. Quando o coração está em ordem, não há ciúmes, inveja, raiva, solidão, abandono. Ordenar o corpo é dar-lhe quarto limpo, uma disciplina, regime alimentar saudável e um programa de exercícios físicos. Isto facilita a ordem mental, que necessita de sossego, silêncio, contemplação.

Tudo isto é simples e fácil de fazer, basta boa vontade e um pouco de disciplina. São dicas das antigas tradições médicas e da ciência moderna que ajudam as pessoas a envelhecerem com qualidade e alegria. Assim é possível expressar o potencial máximo como seres humanos e ter uma existência mais significativa. Em suma, alimentação correta, exercícios físicos, sono reparador, respiração-relaxamento, atitudes e comportamentos harmoniosos são as bases de uma vida longa repleta de vitalidade. E o melhor: tudo isto está à mão, é só praticar!

Assistência ao paciente

Veja como o médico diagnostica e trata sua condição. Marque sua consulta.

Pesquisa

Descubra como a pesquisa avança na assistência ao paciente. Veja em publicações e no blog informações.

Excelência

Experiência e excelência. Exploramos oportunidades e recursos médicos e científicos em nossas especialidades.

Responsabilidade Social

Para transformarmos nossa mente a primeira medida a ser tomada é compreender como funcionam nossos pensamentos e emoções. Como o exercício é fundamental para o corpo, a meditação é o exercício da mente. Só através do afloramento da consciência alcançamos a plenitude do ser.

 

404 Sul, Alameda 6, nº 1, Palmas-TO

Telefones: 63.3214-6211
63.3015-3437
Email: anaffreire@hotmail.com